sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Pois é, mais um ano que passou, ou melhor, voou. Não posso dizer que tenha sido o meu melhor ano porque não foi, mas digo, com toda a certeza, que foi um ano extremamente importante para mim, pois a minha vida sofreu algumas mudanças, devido a erros cometidos, é verdade, mas que me fizeram crescer bastante. E isso foi ótimo, eu acho. Não desejo um 2012 (exatamente) igual a 2011 e também não desejo, como diz o conhecido ditado, "Ano Novo, Vida Nova", assim, estaria a ser demasiado previsível ou então excessivamente ambiciosa, e isso não me agrada. Só desejo que 2012 me traga o dobro do carinho e confiança que 2011 me proporcionou, o triplo de força para enfrentar os mais dolorosos obstáculos e que me possa intensificar, um bocadinho mais sff, as verdadeiras amizades que tenho cultivado até ao momento. Isto, sim, seria a receita ideal para conseguir ter um ano recheado de coisas boas.
Vocês, meus amores, por favor, não desistam, em situação alguma, dos vossos sonhos. E sabem porquê? Porque hoje são, apenas, meros sonhos, é verdade, mas amanhã, de certeza absoluta que, com muita força de vontade, serão a vossa realidade.

DESEJO-VOS UM  2012 MARAVILHOSO e, 
sejam responsáveis, controlem-se na bebida :')
Hoje o meu coração está aos pulos, tive um dia maravilhoso e só quero agradecer, ao meu namorado, pelas fantásticas tardes que me tem vindo a proporcionar com a sua companhia. Obrigada meu doce.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Esta noite pouco ou nada consegui dormir pois, mais uma vez, tu invadiste-me o pensamento e os pequenos momentos que, em tempos, vivemos juntos, tomaram conta do meu, pouco e tremido, sono. As tuas mensagens têm-se tornado cada vez mais frequentes e, por sinal, eu devia estar contente por isso, é verdade, aliás, confesso que (até) estou, mas entristece-me, bastante, o facto de, simples palavras que pronuncias, me conseguirem confundir tanto. Percebes?
Estou cheia de dúvidas, a minha cabeça centra-se num, verdadeiro, ponto de interrogação e eu já não me sinto, sequer, com forças suficientes para te conseguir responder corretamente. Podes explicar-me porque razão chegas, apenas, quando eu estou a (tentar) refazer a minha vida? Porque apareces e desapareces, quase tão rápido, quanto uma andorinha? Porque é que ainda, passados tantos anos, continuas a dar notícias? Porque insistes em cruzar-te comigo? Porque ages tu conforme um autêntico camaleão? Sim, um camaleão. Umas vezes pareces-me tão sincero e, outras tão mentiroso. É irónico, não é? Pois, se calhar, foi isso que sempre foste comigo ... mas sabes?  Estou farta. Acabou o teu entretenimento para comigo. Não me vais iludir mais. Adeus.
( INVENTADO )

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Tenho saudades de quando o meu único medo era o escuro, de quando a minha única preocupação era o meu brinquedo estragado e a única dor que tinha era o meu joelho dorido. Eu não entendo porque razão, atualmente, crescer é sinónimo de sofrer. Isto revolta-me tanto!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O cheiro a fritos (já) começou a invadir a minha cozinha, a euforia já presencia qualquer parte da casa e o espírito natalício está a tornar-se, a cada instante, ainda mais intenso. Estou tão ansiosa pelo dia de amanhã, adoro, o facto de, poder ter a família reunida e  poder ver, quando saio à rua, aconchegada por uma roupa bem quente, a agitação das pessoas ao correrem de loja para loja, fazendo as suas últimas compras. Vocês não acham tudo isto um máximo? Eu fico, verdadeiramente, deliciada com esta magia.
E sabem doces? Eu adorava que, todas as pessoas, pudessem ter, pelo menos, uma consoada recheada de amor e felicidade, uma vez que, nem sempre, é possível terem os melhores bens alimentares no seu lar. Afinal, o importante nesta época é juntar-mo-nos com aqueles de quem mais gostamos e juntos, podermos ter, pelo menos, um retrato formidável de sorrisos verdadeiros, para mais tarde, podermos rever e relembrar o quão especial foi aquele momento. Portanto, obrigada mas, mesmo muito obrigada, de coração, pela satisfação que me têm vindo a proporcionar, por integrarem, comigo, este, delicioso, mundo da blogosfera. Desejo-vos UM FELIZ NATAL :')

Com carinho e muitos beijinhos, Maria Inês!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Tenho acordado, todos os dias, com a doçura da música natalícia que, toca em frente à janela do meu quarto, e desta forma, consegue provocar, em mim, uma vontade inexplicável de levantar-me, para vestir uma roupa extremamente quente e poder sentir, lá fora, o soprar feroz do meu doce e fiel amigo, vento. 

Sabem? Estão a saber-me 
realmente bem estas férias :'D

domingo, 18 de dezembro de 2011

Acordei extremamente cedo e com uma ansiedade tremenda, olhei para o relógio e, pareceu-me ver, o ponteiro das horas intacto e o dos segundos pouco mais móvel estaria, na verdade, o meu tempo psicológico tinha parado e já  nada do que eu pudesse fazer, por mais interessante que fosse, me conseguia estancar a imaginação perante o momento do nosso, tão esperado e sonhado, reencontro. Levantei-me da cama com uma pressa incalculável, vesti-me ainda mais rápido e senti, mais uma vez e, praticamente toda a manhã, os meus batimentos cardíacos ao rubro, quase tão vibrantes quanto a tensão sentida pelos espectadores num jogo Porto-Benfica, por exemplo. Estão a imaginar?
Já me sentia saturada de percorrer, insistentemente, o chão do meu quarto; já estava aborrecida de olhar para o ecrã do meu telemóvel, na esperança de ver uma mensagem tua a dizer que, finalmente, tinhas chegado; já estava cansada de me olhar ao espelho para ver se estava arranjada; e, sinceramente, até já estava chateada, comigo mesma, por me sentir assim tão ansiosa (...) Não consigo explicar tudo aquilo que senti quando te vi, no fundo do corredor do aeroporto, sozinho e rodeado de malas, mas desta vez e graças a Deus, para voltares para casa, para ao pé de mim. Senti-me nas nuvens com a força inigualável do teu abraço e, muito francamente, a doçura das tuas palavras derreteram, por completo, o meu amanteigado coração. Eu confesso-te, não poderia estar mais feliz do que aquilo que estou pois hoje, finalmente, e após três meses tão dolorosos e solitários, abracei a única pessoa capaz de me deixar totalmente realizar com um simples olhar, sim, és mesmo tu, o dono do meu coração.


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Amanhã vou ter um dia memorável com as minhas meninas, vamos almoçar à pizzaria e depois, como seria de esperar, vamos ter um belíssimo serão fotográfico acompanhado por umas boas gargalhadas. Vamos aproveitar para, juntas, dizermos : Olá queridas férias, há tanto que esperávamos por vocês (':

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Há muito que esperava por uma noite assim: rodeada de amigos, acompanhada por uma boa bebida e entrelaçada num bom sonoro. Haverá algo melhor para nos libertarmos dos problemas? Sentia-me extremamente leve quando, na noite de sábado, cheguei a casa e, imediatamente, procurei o quarto para me deitar, sobre a cama, por tão cansada que estava. Fi-lo e, mais uma vez, relembrei-me de todos os obstáculos que a vida me tem colocado e, como seria de esperar, não consegui entender a razão pela qual me foram impostos … no entanto, apercebi-me que, a melhor solução para os ultrapassar, seria “agarrar-me”, mais do que nunca, aos meus amigos e repetir aquele serão, recheado de humor, consecutivamente, sem hesitar, sequer, uma única vez.
E sabem doces? Ainda hoje, passados dois dias, parece que estou a sentir a intensidade das gargalhadas que dei com eles - os meus amigos - e a vibração sentida ao toque da música "beautiful lie", a inocência com que cantámos as músicas mais absurdas e a cumplicidade existente perante os problemas de cada um, foi M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O. E hoje, hoje sinto-me muito feliz, não só porque tive um fim-de-semana memorável, mas também porque, daqui a muitos poucos dias, estarei abraçada ao Homem da Minha Vida.

sábado, 10 de dezembro de 2011

" A grandeza de uma pessoa não se mede pelo espaço que ela ocupa no nosso coração, mas sim pelo vazio que deixa quando está distante. " Será preciso dizer - te o quanto tu me fazes falta? Estou com imensas saudades tuas,  é verdade, mas felizmente, já me sinto (um bocadinho) mais reconfortada por faltar tão pouco tempo para te poder abraçar  e sentir, novamente, o teu carinho  *.*
( Infelizmente, existem blogs que eu não estou a conseguir  comentar e por isso não posso 
responder aos respetivos comentários. É  só comigo que isto está a acontecer? :| )

domingo, 4 de dezembro de 2011

Regressaste, finalmente. Estás a conseguir mudar a cor dos meus dias, daquela forma que só tu sabes fazer, já vais transformando as minhas lágrimas em pequenos sorrisos, e aos poucos e poucos, tens vindo a derreter alguns dos pedacinhos de gelo que, neste momento, resguardam o meu (ferido) coração. Voltaste, não com a mesma intensidade de sempre, é verdade, mas voltaste, e isso, para mim, já tem um grande significado. Ainda te recordas da nossa última conversa? Eu nunca consegui esquecer.
E sabes uma coisa? Todos os dias, ao caminhar em direção a minha casa, me cruzava (e ainda cruzo) pelo local onde estivemos juntos, a última vez, e nesse instante, o meu pensamento pedia-me autorização para relembrar a nossa história ao som fascinante da música que nos presenciou o primeiro beijo, someone like you. Eu dizia que não, evidentemente, insistia, mas ele não tinha a decência de me obedecer. Fugia para ti com uma rapidez sensacional, algo indefinível, quase tão rápido quanto o disparar de uma flecha ... e quando eu já não possuía mais forças para lutar contra ele, era obrigada a sentar-me no nosso banco, ao fundo do jardim, e vagueava, também, pela nossa história. No entanto, sempre que chegava àquele triste final, à ultima discussão e à ultima palavra vinda de ti, era mais racional do que nunca e voltava à realidade, pois na verdade, tu já não te interessavas por mim. Levantava-me e seguia em frente.
Era esta a minha rotina sem ti, era esta a lamentação diária, à hora habitual, e foi neste sitio que, felizmente, voltei a reencontrar-te. Está a saber-me tão bem estar, novamente, junto de ti.

(INVENTADO)

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Tu nunca conheces a força que tens, até que, a tua única alternativa, é SER FORTE  |:

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Finalmente, hoje, iniciou-se o mês pelo qual espero o ano inteiro: Dezembro. Eu adoro sentir este frio característico do Inverno que me remete, imediatamente, para o cheiro acolhedor das lareiras numa das noites mais quentes e fabulosas do ano, o NatalNesta época, a magia do Natal espalha-se pelo mundo, entra no coração dos Homens com uma velocidade tão grande quanto a da luz e faz-nos reviver, mais pormenorizadamente, todos os momentos vividos até então, na verdade, durante esta ocasião, tudo é vivido de uma forma mais intensa, e, até as coisas mais simples ganham um novo significado, um significado especial e diferente do habitual. As ruas ganham um novo "formato" e as luzes que as iluminam, parecem-nos muito mais brilhantes ; o vento torna-se mais assustador e faz-nos sentir vontade de o ver, pela janela, soprar, velozmente, às árvores ; até o fumo, ao sair da chaminé, evidencia uma hélice perfeita fazendo-nos, assim, criar a imaginação de uma harmonia singela existente dentro daquela casa ; É tudo inexplicável! (…) e neste momento, após breves instantes a recordar todo este espectáculo Natalício, já me sinto, como uma criança, cheia de ansiedade para erguer a árvore de Natal e, dia após dia, contar o número de presentes que a estão a rechear, aumento assim, a curiosidade sobre o que, eventualmente, podem esconder. Ó, que sensação maravilhosa!